Vale-refeição – A grosseria dos buffets de Fortaleza

Esses dias andei meio estressado com uns buffets.

Quem me conhece sabe que me empenho de corpo e alma nos casamentos que fotografo. Diferentemente de muitos colegas de profissão, vou pessoalmente ao making of e só vou embora depois dos noivos, isso quando não os acompanho até o local da noite de núpcias. Muitas vezes passo mais de 12 horas fotografando.

Durante este período normalmente não como nada, pois sempre há algo a ser fotografado. Só quando a fome aperta mesmo, sempre no final, faço um rodízio com o resto da equipe, na hora que não há nada de importante acontecendo: se forem três fotógrafos, por exemplo, um come enquanto dois ficam ligados na festa.

Que os garçons evitam servir refrigerante a água aos profissionais já estamos todos acostumados. Entretanto, nesta semana alguns fatos e notícias me deixaram triste:

1 – Num grande buffet, provavelmente o mais caro de Fortaleza, um conhecidíssimo fotógrafo foi barrado ao tentar se servir. Disseram a ele que seria servido à parte. Serviram então uma quentinha daquelas que servem em construção, provavelmente feita desde o almoço. Imaginemos a qualidade da comida.

2 – Neste mesmo buffet, enquanto fotografava fui avisado pelo cerimonial, também TOP, que havia um consommé – leia-se canja – para nós ao final da festa.

3 – Uma semana depois, numa também conhecida barraca de praia, mesmo depois do assunto ser abordado por mim em reunião com cerimonial e gerente de eventos, um colega da equipe de filmagem teve praticamente o prato arrancado da mão ao tentar alimentar-se quase duas da manhã. Registre-se que a noiva entrou com o dia ainda claro.

Considero mais que um desrespeito ao profissional, mas à própria condição humana, por tratar-se de um ato planejado puramente discriminatório a pessoas supostamente inferiorizadas. Até mesmo porque os buffets normalmente cobram pelos profissionais.

23 comments

  1. Paulo Figueiredo says:

    Este tipo de procedimento é lamentável, é nítido em alguns buffets aqui de Fortaleza, o graçon evitar de servir aos profissionais que estejam trabalhando. Principalmente vc que se dedica tanto na cobertura do evento.

  2. Carlos Eduardo Tavares says:

    Fábio. Absurdos como esse infelizmente não acontecem só em Fortaleza. Aqui no Rio de vez em quando temos que passar por situações semelhantes. Já existem profissionais por aqui que incluem cláusula de alimentação para a equipe no Contrato. Acho que temos que começar a debater isso nos fóruns e nos congressos que participamos, porque não se trata de ter ou não o direito de se servir na festa, mas de se ALIMENTAR, o que é uma prerrogativa de sobrevivência do ser humano. Ninguém por mais resistente que seja, consegue ficar 12 horas ininterruptas trabalhando duro, com uma ou duas câmeras pesadas nas mãos e com a adrenalina e a concentração do cérebro a 1000 por hora, sem comer absolutamente nada. A questão é realmente válida e deve começar a ser debatida. Grande abraço e parabéns pelo blog.

  3. Clenilson Silveira says:

    Isso é um fato lamentável mas que realmente existe em alguns buffets de fortaleza, claro que não podemos generalizar mas tens alguns que já são até conhecidos por fazer esse tipo de coisa. Eu mesmo para evitar algumas vezes isso me sinto obrigado a dar um troco para algum garçon para que possa servir vez ou outra pelo menos água e refrigerante pois garanto que alguns buffets até água é difícil de se conseguir. E como no meu seguimento tenho que ficar em cima do palco e não posso estar correndo atraz de garçon, tenho as vezes que sair do meu canto para falar com cerimônial ou até a dona da festa para que sirvam pelo menos água. Tem locais que os graçons chegam até a ir da gente. Absurdo.

  4. ana maria de abreu siqueira says:

    Fábio… Que absurdo! Nunca pensei q essas coisas aconteciam, nunca q os buffets fizessem isso com os profissionais… Pois na minha festa vcs não podem ficar sem comer, viu?

    Mas me diz uma coisa, isso tb tem q partir da família dos noivos ficarem de olho ou então recomendarem à cerimonialista ou buffet p/ ver isso. Até pq a noiva não lembra nem de comer, qt mais perguntar se os profissionais estão comendo… Vou falar com a Leyde…

    ;-D

  5. Daniel says:

    Cara, venho em pensando em fazer um post parecido no meu Blog. Comigo nunca aconteceu nada demais. Já tive situações até opostas em que a chef da cozinha preparou uma salada especial para um dos fotógrafos que é vegetariano. Já fui em Buffets tb que se eu não for atrás da comida, você passa fome e sede mesmo. Alguns buffets não chegam a reservar nem um espaço adequado onde os profissionais possam sentar e descansar por alguns minutos… comida então, nem pedindo.

    Enfim, acho um absurdo total, falta de respeito e educação. Buffets que tem esse tipo de atitude, eu não indico…

    Hoje em dia ando com uma bolsa termica no carro, com água, barras de cereal, etc… e aproveito para beber água e comer alguma coisa duranta os trajetos (salão, buffet, igreja, buffet).

    Assino em baixo.

    Abraços

    Daniel

  6. Melque says:

    ACONTECEU COMIGO hehehehe

    Interessante esse assunto, esses dias, saimos do nosso convencional (fotos de casamento), fomos a pedido de uma amiga dona de Colégio fazer fotos de ABC, vou dizer mesmo o local _ Buffet Mundo Mágico Infantil, onde foi comemorada a festa de ABC, ali nas proximidades da Bezerra de Menezes. Acordamos que pagariamos o buffet, 3 pessoas cada uma 25,00, pra nossa surpresa nem água serviram, quando a diretora da escola foi indagar com o garçon e depois dono do buffet, foi irmados que filmadores so comiam, no final do evento, e água? Enfim, mandei dizer a ele que não ia pagar pois nem água bebi, né nem escravo que se come depois dos seus senhores, ao menos água, e o agravante que estavamos pagando integral. Falei com a Dona da escola, que ja teriamos feito fotos suficientes e necessárias e desmontei material e fui embora, nessa hora o dono ja tinha puxado uma mesa, umas duas bandeijas de salgados e adulando meu irmão pra ficar, que tava servindo. Ficamos não e mandei ele passar mal.

  7. Albano Ribas says:

    Fábio….o mais interessante que os buffet’s pegam o nosso nome e registra no livro para depois cobrar do nosso cliente! Uma vez pedi para tirar meu nome desta lista pois não iria consumir e a funcionária pouco deu atenção.
    Em alguns casos tenho levado lanche para nossa equipe…e comemos na mesa dos profissionais (quando tem) ..mais fica estranho agente se alimentando com comida de fora num local que faz comida ! Isso talvez choque os convidados…

  8. Tiago Lemos says:

    Realmente, isso é um grande absurdo!
    A q ponto nós chegamos!

    Que tipo de sociedade é essa? Parece até que voltamos no tempo e não aprendemos nada no que diz respeito à dignidade humana e o respeito ao próximo. Um profissional e, antes de tudo, um trabalhador que está ali para cumprir sua jornada de trabalho com dignidade, ser colocado à margem por outros profissionais de um mesmo segmento é mesmo revoltante.

    Concordo com o Carlos Eduardo qnd coloca que esse assunto deve ser debatido em foruns e debates afins, pois não se trata de um fato isolado aqui em Fortaleza.

    Abraço, e parabéns pelo post!

  9. ana maria de abreu siqueira says:

    Rapazes, me orientem… fiquei impresionada com esse tratamento! Eu, como cliente de vocês, o que devo fazer? Conversar antes com a dona do buffet? Falar com minha cerimonialista?

    Pq assim, aqui em casa não é buffet, mas como é grande todo mundo da família faz festa aqui em casa ou já aconteceu ter alguns aluguéis, nós (eu, minha mãe e minhas irmãs) tratamos todas as pessoas quem vem trabalhar aqui super bem!

    Vou dar um exemplo, uma visinha nos peiu p/ alugar o espaço e que organizássemos a festa dela (buffet e espaço), daí ela contratou um músico, pois EU MESMA servi salgadinhos, água e refrigerante, além de fazê-lo ir jantar! E não cobramos NADA a mais p/ a dona da festa por esse tratamento!

    Me ajudem… o que devo fazer? Vou casar daqui a 1 mês e meio e Fábio é meu fotógrafo. E faço questão que ele (e sua equipe) sejam SUPER bem tratados na minha fsta!

    Abraços a todos!

  10. Marcelo Bruno says:

    solucionei esse problema colocando no contrato o seguinte :
    Por se tratar de mts horas trabalhadas ineterruptas o fotografo bem como sua equipe estao autorizados a se servirem do que esta sendo servido aos convidados .
    Se por ventura houver resistência o fotografo e sua equipe poderão se ausentar por uma hora para que se alimentem como diz a lei trabalhista brasileira .

    espero ter ajudado
    sou fotografo do RJ

  11. Ana Maria says:

    No meu casamento TODOS os profissionais foram bem servidos! Eu pdei p/ q a minha cerimonialista ficasse de olho nisso, sem falar que o buffet q fiz minha festa não me cobrou nenhum centavo a mais p/ q os profissionais comessem as comidas da festa mesmo… Nenhuma distinção com os convidados… ADOREI!

    Podem perguntar ao Fábio…rs!

  12. Danisio Souza says:

    Ja trabalhei como garçon e geralmente os donos de buffet reaproveita as comidas que sobra das festas e outras vezes coloca-se no lixo, fiz isso muitas vezes.

  13. Angelo says:

    O alimento é uma necessidade básica do ser humano . Não conheço ninguém que consiga trabalhar quase doze horas sem se alimentar dignamente, seria constrangedor para o cliente e o buffet, o profissional desmaiar de fome no evento porque não foi servido nem água, pois moramos numa cidade de clima quente, onde todos trabalham de paletó com uma responsabilidade e atenção que faz com que a transpiração seja além do normal. Então esse tipo de situação é até vergonhosa para os buffets que praticam esses atos de desumanidade e total discriminação.
    Os profissionais comprometidos já trabalham para superar as expectativas, imagine se forem bem tratados!!!!

  14. marlene sobreira says:

    Esse assunto é polêmico e merece ser discutido em foruns,congressos,clientes, net etc, até que os buffets que fazem uso desse procedimento,entendam de que todos os profissionais,digo, de todos os segmentos,são clientes em potencial..indicando ou um futuro cliente.
    Pior é que quase todos os profissionais, que não perteçam a”panelinha”do Buffet, sofrem com vários tipós de discriminação…Como decoradora,já cheguei até a puxar agua de poço profundo(de cordinha e baldinho..huahahs)que um buffet mantém para poupar agua da cagece..rsrs é cômico,,mas,fazer o quê?..e a água que bebemos ?.essa se quiser… é da torneira ou passamos da manhã até à noite com sede..(esse problema resolvi comprando uma garrafa térmica de 5 litros,pra mim e meus auxiliares). com 30 anos trabalhando com eventos,já passei por situações que até Deus duvida.rsrs

  15. Laninha says:

    impressionante relato…mas eu nao duvido. agora que é um absurdo, isso é! é uma falta de respeito. qdo fechamos contrato com o buffet, foi informado que…para o numero de convidados descrito no contrato, o buffet daria 3 profissionais como cortesia…ótimo! só que terao mt mais que 3 profissionais. de antemao já informei que os profissionais deverao ter uma mesa específica para eles , e que TODOS, sem exceção, serão servidos com tudo o que os demais convidados se servirem, nao quero distinções. Sao profissionais que estao ao meu dispor, e quero que tenham no minimo a condiçao de dignidade para realizarem seu trabalho. e pensar que estamos no século XXI…

  16. Raquel Parente says:

    Isso é uma situação bastante delicada e que jamais deveria ocorrer, porém é muito mais comum do que muitas pessoas imaginam.

    Alguns buffets nos tratam muito bem, fazem de tudo para ajudar, colocam funcionários solicitos e dispostos a fazer do evento um sucesso. Porém outros fazem exatamente contrário. Até parece que os profissionais que estão ali trabalhando, nos mais diversos segmentos, estão fazendo um favor ao buffet.
    Existem situações tão absurdas que já cheguei a ir falar pessoalmente om a proprietária de um deles, pois sua gerente, na hora de um casamento simplesmente ignorava o que a equipe do cerimonial pedia.

    Em todas as reuniões que realizo nos buffets toco nesse assunto. Aviso que a banda precisa de água direto na mesa de apoio deles, que os profissionais precisam tb de água e refri qdo chegam do local da cerimônia, etc.
    Na maioria dos casos os noivos pensam que pagaram os 50% do valor por pessoa e que seus profissionais estão sendo servidos, qdo muitas vezes esse valor pago vai pra outra finalidade. Muito bom os clientes ficarem cientes disso.

    Agora um caso que preciso contar. Uma cliente foi avisada que precisaria pagar pelos profissionais o valr de 50%. Ela chegou pra mim e numa expressão de surpresa absoluta perguntou:
    – E os profissionais comem???
    Ai ai… respondi bem educadamente que sim e expliquei o horário que saímos de casa, que começamos a trabalhar e tudo mais…
    Mas minha vontade era dizer:
    – Não amor… nos alimentamos de luz!

    Beijos Fábio!

  17. Kesia says:

    Fábio, ainda não contratei os seus serviços, mas falta pouco (preciso só ter certeza da data). É um absurdo esse comportamento dos buffets porque vocês estão inclusos nos nossos contrato com o buffet. Como você comem pouco, já que estão trabalhando, pagamos por cada profissional metade do que pagamos pelos convidados comuns. Então, comam porque os noivos estão pagando por isso. Acho um absurdo que vocês sejam tratados assim e me certificarei de que todo mundo na minha festa (convidados e prestadores de serviços) sejam bem tratados.

  18. Marianne says:

    Tenho um buffet…e quero me pronunciar a respeito desta questão…que deve realmente ser debatida. Sempre servi os profissionais com o maior prazer, porém com o tempo fui vendo que existe alguns incovenientes nesse sentido. Tem alguns casamentos que os noivos não disponibilizam que os profissionais se sirvam no mesmo buffet dos convidados, então os profissionais são obrigados a servirem-se na cozinha. Porém as equipes resolvem ir até a cozinha no momento em que estamos servindo os convidados, e que geralmente é uma hora que toda a equipe está ocupada e não podem parar paradar atenção as equipes. Isso causa um constrangimento muito grande, pois as equipes acabam atrapalhando o momento mais importante no nosso trabalho. Outra questão é que em festas grandes, o número de profissionais trabalhando chegam à mais de 50 pessoas, e alimentar 50 pessoas geram custos pesados para o buffet. Por isso,acho que o justo é acordar com o cliente a pagar um valor por profissional, mesmo sendo a metade, pois acredito que a alimentação das equipes é um custo da festa e não do buffet. Acho que é super válida a discussão, pois todos estamos lá trabalhando e a ideia é que todos trabalhem bem e com dignidade sem prejuízo no seu trabalho.

  19. fabiomeireles says:

    Oi Marianne!

    É claro que os buffets devem cobrar por nós! Se os noivos não pagarem eu pago os custos da minha equipe. O que está sendo discutido é a grosseria/desonestidade dos buffets que cobram mas não querem servir, que são grosseiros e preconceituosos.

    Abraço

Deixe uma resposta